Arquivo da tag: Dra. Môn

Mais do mesmo, e dicas a serem relembradas

E aí, meninas lindas do meu Brasil! (e Portugal!)

Meu tratamento continua firme e forte.

Dra. Isabel pediu uma série de exames de rotina, e deu tudo negativado. Cândida, infecção urinária, todas as DSTs (por  mais que eu me cuide é sempre bom, né?), glicose, etc. Volto nela dia 24 só pra mostrar os exames e acompanhar meu quadro.

O tratamento continua com Amitriptilina 50mg/dia e fisioterapia uroginecológica 1 x por semana. Agora a dor se concentra em 3 pequenos pontos específicos, e não mais generalizada. A pressão nesses pontos ainda incomoda, mais especificamente em um do lado direito,  que descobri há pouco tempo. Quando toca/pressiona ali, eu vou à lua e volto. Os outros 2 já são bem mais amenos.

A ardência espontânea que já tinha melhorado, e aparecia somente no período pré-menstrual e menstruação, esse mês só veio um diazinho, bem de leve, no período pré. E falando em menstruação, reforço uma dica que já foi dada aqui.

No mês passado resolvi seguir à risca a orientação da Dra. Isabel, que era usar absorvente interno durante toda a menstruação. Eu vinha usando somente durante o dia, mas para dormir, eu usava o normal. Mas, depois que eu tive uma reação alérgica surreal a um absorvente perfumado (que na embalagem não informava ter perfume nenhum), eu peguei trauma e resolvi testar. Fiquei super mal, com medo que tudo voltasse, e que  meus 5 meses de fisioterapia tivessem sido jogados no lixo. Mas GRAÇAS, passou logo.

Mas, voltando ao O.B., QUE DIFERENÇA ABSURDA. De fato, o contato do sangue com hormônios na mucosa irrita! Não senti incômodo nenhum. E, quando bem colocado, parece que nem tem nada dentro de você. Para ajudar, vale usar o Nujol para lubrificar não só o absorvente interno como a própria vulva, na hora de introduzir.

Agora, quero me organizar financeiramente para voltar à terapia, pra perder o medo da dor. Preciso tirar essas lembranças da minha cabeça e desassociar a proximidade do ato sexual de medo, nervosismo, tensão, e voltar a deixar tudo fluir como era antes. A dor já é MUITO menor e não me impede mais de ter relações. Já tive relações nos últimos meses, e as coisas aconteceram bem melhor do que eu esperava. Mas as lembranças ruins e o medo do quadro regredir ainda me travam consideravelmente…

O que interessa é que a cura existe, já temos duas meninas totalmente curadas e tendo relações normalmente, sem dor provocada ou espontânea.

E vamo que vaaaaaaaaaamo!