Mais um passo rumo à cura total

Ontem voltei à Dra. Isabel, a ginecologista que cuida das meninas aqui no Rio.

Que alegria, gente.

Ela repetiu o mesmo exame que fez na primeira vez que eu fui lá. Ele consiste em tocar com um cotonete, as áreas de dor aguda onde a vulvodínia se manifesta. Na época, eu gritei de dor e chorei em cima da maca. Ontem, eu simplesmente não senti nada. Até perguntei se ela estava fazendo mais suave, com menos força, e nada.

Aproveitei pra colher o preventivo, já esperando que quando o espéculo fosse aberto, doesse um pouco… e NADA.

Pela PRIMEIRA VEZ na VIDA eu fiz um preventivo sem dor.

Acho que não existem palavras para definir o que isso representa na vida de uma mulher depois de anos de dor física e psicológica.

A própria Dra. Isabel ficou com um sorrisão enorme, e disse:

-Estou impressionada com sua melhora, menina! Lembro de você chorando aqui no meu consultório!

Isso não significa que já eu esteja 100% curada. Na fisioterapia, fazemos procedimentos de maior pressão e atrito, o que ainda causam dor e queimação.

Aumentamos a dose da Amitriptilina para 50mg, pra ver se acelera isso aí.

Aproveitei para tirar com ela diversas dúvidas sobre outras possibilidades de tratamento que volta e meia aparecem. Segundo ela, os únicos tratamentos oficiais e com resultados comprovados são os cuidados com higiene local, alimentação, medicação (antidepressivos tricíclicos ou anticonvulsivos) e a fisioterapia uruginecológica + biofeedback, que é o que há de mais moderno e com mais resultados mundo afora atualmente.

Sobre outros procedimentos, ela explicou:

-Botox: não existe ainda um número suficiente de pessoas e reaplicações para que se possa avaliar a eficiência e efeitos colaterais. Fora isso, pode provocar a atrofia dos músculos pélvicos.

-Laser: da mesma forma, ainda não existe número de casos suficientes para comprovação da eficiência e efeitos colaterais. Risco: provocar fibrose no processo de reconstrução do tecido local.

-Vestibulectomia: apesar de ser considerado um dos métodos mais eficientes, a cirurgia para a retirada do vestíbulo muitas vezes apenas transfere a dor de lugar. O ponto que doía antes, não dói mais. Mas a dor aparece em outra região do corpo, seja na vulva ou não! (MUITO LOUCO ISSO, não?)

-Retirada das Glândulas de Bartholin: Nem pensar! Mesmo que sua dor lancinante seja nesses pontos, elas são as maiores responsáveis pela nossa lubrificação.

Em suma: SOSSEGUE SUA PERERECA E CONTINUE COM A FISIOTERAPIA. Os estímulos em cada sessão vão aos poucos dessensibilizando a região e fazendo o tecido distinguir o toque do estímulo de dor.

E VAMO QUE VAMO! Eu quero é mais!

😀 😀 😀

Anúncios

20 ideias sobre “Mais um passo rumo à cura total

  1. Lika, venho lendo seu blog, pois tenho tido probleminhas que ainda não foram 100% desvendados! Tenho tido muito corrimento, sem causa, já fiz todos os exames e repeti diversas vezes, minha médica passou um tratamento e disse que pode ser alergia mesmo. Não acho característico de vulvodinia pois não se assemelha muito aos sintomas aqui descritos pelas meninas, de qualquer forma, o meu é mais característico de alergia…mas por via das dúvidas, vocês sentem dores ao toque? Nos exames ginecológicos é muito dolorido? É bem diferente de uma irritação local, vermelhidão, enfim, estou tão confusa! rs De qualquer forma, como sei que ter problemas e não conseguir resolver deixa qualquer um sem chão, tenho rezado muito por todas nós! Eu espero um dia entrar nesse blog e poder compartilhar de boas experiências com todas vocês! Beijos

    Resposta
    1. Lika Autor do post

      Oi, Ké!

      Sim, a vulvodínia gera dores em toques ou até mesmo involuntariamente.

      De qualquer maneira, é preciso um diagnóstico preciso, por um profissional de confiança.

      Se a médica atual não está desvendando, procure outra!

      Beijos e boa sorte! 🙂

      Resposta
  2. Keila Cerviglieri

    Oi. Li seu blog e gostaria de deixar meu e-mail para vc me escrever. Estou passando por esse processo e estou perdida. Que tipo de fisioterapia vc faz??

    Resposta
    1. Lika Autor do post

      Oi, Keila.

      A especialidade de fisioterapia é a uroginecológica.

      Mas, primeiro, você precisa ser diagnosticada por um médico e ser encaminhada para esse tratamento.

      Clique em “com quem tratar” e veja a relação de profissionais que cuidam da gente. 🙂

      Bjs

      Resposta
  3. Keila

    Ja tive diagnostico de um medico dermato com laboratorio de vulva na faculdade. Estou fazendo tratamento só que nao posso tomar amitriptilina. Trava intestino. Estou tomando cymbalta. Estou caminhando, mas lentamente. Deixei meu e-mail. Se puder me escreva lá.

    Resposta
  4. Keila

    NÃO CONSEGUI ACHAR QUE TIPO DE ALIMENTAÇÃO PODERIA CAUSAR IRRITAÇÃO URETRA, OCASIONANDO ASSIM DOR E PRURIDO NA VULVA E CLITÓRIS. VI QUE UMA MOÇA DO GRUPO SÓ TOMA CAFÉ DESCAFEINADO. ONDE PODERIA CONSEGUIR TAL RELAÇÃO??
    KEILA

    Resposta
    1. Lika Autor do post

      Keila, bom dia!

      Como costumo alertar, não podemos fazer um auto-diagnóstico e nem nos tratarmos por conta própria. É fundamental que você encontre um médico que confirme se seu caso é mesmo de vulvodínia, e, assim sendo, seguir o tratamento sugerido, seja alimentação, medicação, fisioterapia, etc. Procure em “Com quem tratar” um médico mais próximo de você. 🙂 Beijos e fique calma, tem cura!

      Resposta
      1. Keila

        Lika
        Fui diagnosticada por um médico dermatologista, especialista em vulva. Tao logo passe as eleições vou procurar um médico da lista. Uma ginicologista tb me diagnosticou com vv. Estou tomando cymbalta uma vez que não posso tomar amitriptilina. A melhora está muito lenda. Tem hora que me desespero.

  5. pereira

    Olá Lika, fui hoje na minha 1a. consulta com a dra. Monica Lopes para relatar minha suspeita de vaginismo. Conclui o que eu ja desconfiava. Ela tb me falou sobre a vulvodinia e me recomendou a dra. Isabel, já marquei consulta. Estou meio atonita, desesperada. Cheguei da consulta e ja chorei muito. To meio sem chão, sabe. Foi a dra. Monica que me falou do grupo de vcs. Na saida do consultorio uma mulher muito simpatica tb me falou de vcs e disse para eu procurar entrar no grupo, é possivel? att. Pereira.

    Resposta
    1. Lika Autor do post

      Oi!

      Primeiramente, fique calma!
      Tudo isso que você está sentindo, essa sensação de desorientação e tristeza, é perfeitamente normal. Todas nós já passamos por isso.
      A boa notícia é que o tratamento funciona, e estamos todas melhorando a cada dia.

      Já adicionei você ao grupo.

      Keep calm, que vulvodínia tem jeito! =)

      Beijos!

      Resposta
  6. Dani

    Olá Lika!!
    Fico muito feliz por você estar melhorando…

    Eu estava começando a ficar desanimada, indo em vários médicos que sempre me passavam só um “creminho” mas esse mês fui a uma ginecologista que me passou hixizine, uma anti-alérgico,… comecei a tomar hoje, vamos ver se vou ter resultados positivos para compartilhar…

    Um abraço

    Dani

    Resposta
  7. karla

    Olá, fui diagnosticada com vv pela dra isabel. Estou muito perdida, ja chorei muito, desabei, to tomando gaba e fluconazol mas a melhora ta lenta. Gostaria de ser add ao grupo! Obrigada

    Resposta
  8. Maressa

    Olá Lika,
    Você poderia me adicionar ao grupo de emails de vcs? Gostei muito de todas as informações que vi aqui. Tenho sofrido com vv há dez meses, sem saber ao certo o que era.. Aqui foi o primeiro lugar que me deu uma luz de que há uma solução. Meu email é maressahage@hotmail.com
    Obrigada

    Resposta
  9. Soraya S G B botelho

    Olá Lika,muito interessante o seu blog ,acho que descobri o que realmente tenho pois já fui a vários gineco ,urolog e nefologistas em busca de respostas para ardência, infecçoes e dores em minha vagina sem respostas em exames que faço. Sofro há pelo menos 20 anos tomando antibióticos, anestésicos urinários e cremes vaginais. Adicione-me ao grupo de emails de vcs. Meu email é soraya@superbomsupermercado.com.br Obrigada ,vou marcar consulta com uma médica recomendada pelo seu blog!!

    Resposta
    1. Lika Autor do post

      Soraya, vou adicionar você ao grupo.
      Mas além disso, clique ali em cima em “com quem tratar”, que tem uma relação de médicos pelo Brasil que têm atendido e curado a gente aqui do grupo.

      Beijos!

      Resposta
      1. Soraya S G B botelho

        Já marquei a consulta,depois conto prá vcs o resultado da mesma,Mas já estou fazendo uso
        derecomendaçoes feitas por vc e outras meninas do blog. obrigada ,abraços!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s