Milagre? Não, fisioterapia!

Dois anos depois do diagnóstico, muito sofrimento, dor, autoestima dilacerada, a luz no fim do túnel é cada vez mais forte e concreta.

Graças a uma das meninas que conheci através do blog, chegamos à fisioterapeuta Dra. Mônica Lopes.

Mas, peraí, fisioterapia? Pois é. Apesar dos problemas ortopédicos serem os mais famosos nesse ramo, descobri que existe a chamada Fisioterapia Uroginecológica.

Esse ramo da fisioterapia, entre outras coisas, cuida de disfunções sexuais como vaginismo, e, cada vez mais, a vulvodínia.

Há cerca de 4 meses estou me tratando, e posso dizer que é o melhor resultado que já tive. Com técnicas de dessensibilização e fortalecimento do assoalho pélvico, nossa fada-madrinha está nos ajudando a recuperar a alegria, a autoestima e a tão sonhada vida íntima 8 de nós.

A Dra. Mônica é tão, tão fofa e dedicada, que participa da nossa lista de discussão, e, além de tratar das meninas aqui Rio, encontra e indica profissionais competentes e capacitados para nossas amigas de outros estados e cidades.

Em nossa lista, está a também fisioterapeuta Dra. Aline Manta, de Salvador, sempre disposta a esclarecer dúvidas ou nos alertar quando alguém novo aparece e comenta algum tratamento inadequado.

Essa corrente do bem me fez abrir os olhos e valorizar ainda mais esses profissionais que trabalham diariamente para nos devolver o bem-estar físico. Se, por um lado, a decepção com a classe médica é indescritível, os fisioterapeutas merecem nossos maiores elogios e gratidão.

Atualmente, meu tratamento consiste em:

-Amitriptilina 25 mg /dia
-Higiene local somente com água. Sabonete líquido Eucerin PH 5 apenas 1x por semana
-Calcinhas somente de algodão,  lavadas com sabão de côco em pó
-Fisioterapia Uriginecológica 1x por semana
-Solução aquosa de lidocaína a 4 %, se a dor espontânea der as caras (que continue longe, rs) ou para relações

Posso dizer que já melhorei uns 99% da dos espontânea, e uns 65% da provocada. Fico por aqui, na certeza que a cura total está cada vez mais próxima.

Beijos a todos, e um super obrigada a todas as amigas lindas e maravilhosas que fiz aqui.

E se você ainda não faz parte do nosso grupo, sente dor em silêncio, vire esse jogo agora! Entre em contato com a gente e com os médicos e profissionais de saúde que cuidam de nós, e vá ser feliz, mulher! =)

Beijos!

 

Anúncios

15 ideias sobre “Milagre? Não, fisioterapia!

  1. Cláudia

    Boa tarde Lika,depois de muito sofrimento como todas as meninas que participam desse blog, fui diagnóstica a 03 meses atrás com Vulvodínia,na realidade a minha é na região do Vestíbulo pela Dra. Lana Aguiar e também aprendi muito com seu blog, melhorei 60% desde que iniciei o tratamento ,também tomo Amitriptilina 25 mg/dia, uso Eucerin PH5 só que em barro e também tomo citrato de cálcio com Vitamina D,e faço exercícios de Kegel diariamente conforme orientação da Dra. Lana e também acupuntura que achei que ajuda bastante, fiquei feliz com o seu progresso com a fisioterapia e gostaria de saber se a Dra. Monica Lopes tem alguma fisioterapeuta em São Paulo -capital para indicar. Obrigada pelo seu Blog!! beijos, Cláudia Oliveira

    Resposta
  2. Ellen Cristine

    Oi, gente, fui diagnósticada segunda feira, dia 20/08 e como faço fisioterapia para uma patologia de joelhos, fiquei pensando se poderia haver para essa doença também e encontrei a resposta aqui!Como sou de São Paulo, capital, também aguardo a resposta e quem sabe podemos formar um grupo. Estou gostando muito do blog!
    Beijos.
    Ellen Cristine

    Resposta
    1. Lika Autor do post

      Oi, Ellen!

      Seja muito bem-vinda.

      Temos pessoas de SP, mas acho que nenhuma da capital.

      Mas pode chegar que será muito bem-vinda! Vou adicionar você ao blog.

      Beijos e boa noite.

      Resposta
  3. Triciana

    Depois de 2 anos sendo massacrada por médicos incopetentes, sou a prova viva de que fisioterapia uroginecológica me trouxe a cura. Após de 4 meses de fisio estou levando uma vida normal, mas é claro que com uso de Cymbalta e todos os outros cuidados, como: usar calcinha de algodão e higiene com sabão específico.
    Fico muito feliz de participar deste blog que me trouxe a cura.
    Beijos!

    Resposta
  4. Flávia

    Você conhece algum fisioterapeuta que faça este tipo de tratamento que esteja no centro da cidade – RJ?

    Resposta
    1. Lika Autor do post

      Flávia,

      A única profissional que eu conheço no Rio é a Dra. Mônica, em Copacabana. Vale ressaltar que a uroginecologia é uma especialidade rara na fisioterapia, e profissionais competentes, mais ainda. Temos no grupo meninas de fora do Rio que vieram se consultar com ela e a Dra. Isabel, nossa ginecologista. Bjs!

      Resposta
  5. Kaka

    Como faço para entrar no grupo? Gente, fui diagnosticada com 1 mes de casada, to arrasada. Preciso da ajuda de vcs! Bjs

    Resposta
  6. Flávia

    Lika – Antes da Fisioterapeia minha ginecologista vai tentar aplicação de um ácido no local. Só Deus mesmo!! Tá marcado para 26/02. Vamos ver como será o andamento das coisas.

    Kaká – também sou casada recente. Descobri com 3 meses de casada. Mas não podemos desanimar, vamos tentando todo tratamento que for possível.

    Resposta
    1. Lika Autor do post

      Flávia, sua ginecologista entende de vulvodínia? É um assunto muito delicado e poucos são os médicos que de fato entendem e sabem o tratamento adequado para cada caso…

      Tivemos meninas no grupo que pioraram e muito depois da aplicação de ácidos, tendo sofrido alterações irreversíveis no tecido da vulva e vagina.

      Fica o alerta…

      Bjs

      Resposta
      1. Flávia

        Ela procura participar de tudo que fale do assunto. Algumas pacientes tiveram uma melhora. Mas é aquilo, testar. Eu tô indo pra correr o risco mesmo. Acreditando que isso poderá me ajudar.
        Um bjo

  7. ana

    por favor, gostaria de saber o que é a terapia neural, como ela é feita, se alguém que tinha dores no clitóris melhorou, obrigada.

    Resposta
    1. Lika Autor do post

      Ana,

      A terapia neural foi feita por uma das mulheres do grupo, residente na Argentina. Não tenho muitas informações sobre, desculpa. :/

      Resposta
  8. isabel

    Oi, apesar de estar sempre procurando me informar sobre candidíase, é a primeira vez que me deparo com vcs. Tenho sofrido muito desde a minha última gestação, não tenho mais esperanças com ginecologistas, tento controlar com as informações de alguns livros, mas com pouco sucesso, o que me faz buscar por este contato é o fato de estar observando que minha filhinha de 4 anos esta sempre com a entrada vaginal irritada, e sofro por não saber como evitar que ela passe por tudo isso também. Se puderem entrar em contato agradeço.

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s